Cimam identifica mais de 220 pontos de desmatamento ou queimadas em Unidades de Conservação do Pará

Continua após a publicidade

No Pará, há 227 pontos de desmatamento ou queimadas e outros ilícitos ambientais nas Unidades de Conservação estaduais, que abrangem os municípios de Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará, Jacundá, Novo Repartimento, Nova Ipixuna e Itupiranga. O levantamento foi divulgado nesta terça-feira (2).

Segundo a gerente da Região Administrativa do Mosaico Lago de Tucuruí, Mariana Bogéa, o mapeamento foi realizado pelo Centro Integrado de Monitoramento Ambiental (Cimam), do governo do Estado. “Estamos indo a campo, verificando e confirmando se realmente esses pontos são de desmatamento e/ou queimada. Uma vez identificado, os responsáveis são notificados e autuados, conforme recomenda a legislação vigente”.

O município que aparece com o maior índice de desmatamento é Novo Repartimento. As ações de fiscalização são custeadas pelo Ideflor-Bio com o apoio dos municípios, e a logística do Exército pelo Governo Federal, atuando com o efetivo de quase 20 militares.

As ações de fiscalização, coordenadas pela Gerência do Lago de Tucuruí, já estavam sendo executadas de forma conjunta com as secretariais municipais de Novo Repartimento, Tucuruí e Jacundá. Para intensificar o trabalho, foi solicitado apoio do Exército, informou a presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson.

Crimes flagrantes

Mais de 2.300 metros de malhadeiras irregulares, arpões, armadilhas para pássaros, armas de fogo, motosserras, gaiolas e outros apetrechos utilizados na prática de crimes ambientais, como pesca predatória, desmatamento e caça, foram apreendidos na região do Mosaico Lago de Tucuruí, no sudeste paraense. O balanço da ação foi divulgado nesta terça-feira (2).

Desde o último domingo (1º), o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), por meio da Gerência do Lago de Tucuruí, realiza ações integradas na região com apoio da 23ª Brigada de Infantaria e Selva de Tucuruí e de secretarias municipais de Meio Ambiente.

Foram devolvidos ao meio ambiente 30 pássaros encontrados em situação de aprisionamento. Também houve o resgate de dois papagaios e uma arara que estavam em abandonados. Mariana Bogéa ressaltou que a manutenção das ações de fiscalização ambiental, priorizadas pelo Ideflor-Bio, são fundamentais para garantir a conservação dos recursos naturais da região, e têm efeito positivo.

Fonte: G1 Pará

Comments 3

  1. Cristina Santos Matos says:

    Foram devolvidos ao meio ambiente 30 pássaros encontrados em situação de aprisionamento. Também houve o resgate de dois papagaios e uma arara que estavam em abandonados. Mariana Bogéa ressaltou que a manutenção das ações de fiscalização ambiental, priorizadas pelo Ideflor-Bio, são fundamentais para garantir a conservação dos recursos naturais da região, e têm efeito positivo.

  2. Rayane Soares Santos says:

    Os desmatamentos e as queimadas são mais causadas por conta da produção do carvão, o carvão por mais que não seja legal é uma fonte de sobrevivência a muitas pessoas, o município de Breu Branco PA por exemplo a muitas familias que vivem do carvão.
    Na no meu ponto de vista para que acabe mais com essa questão deveria haver mais oportunidades de emprego tanto para quem tem experiência quanto para quem não tem, pois nem todos tem um curso ou uma faculdade.

  3. Rayane Soares Santos says:

    A maioria dos desmatamentos e das queimadas é por conta da produção de carvão, por mais que seja ilegal a várias pessoas que fazem derrubadas em grande parte das arvores para a produção do carvão pois não encontram un trabalho adequado.
    Para a resolução desse problema deveria haver mais oportunidades de emprego tanto para quem tem experiência quanto para quem não tem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *