Menu
Search
Close this search box.

História e artesanato dos povos indígenas Juruna e Arara em exposição na capital paraense 

Aberta ao público até o próximo domingo (13), no espaço São José Liberto, a mostra valoriza os saberes e a arte de 11 aldeias dos povos indígenas da Volta Grande do Xingu.

Continua após a publicidade

Exposição Juruna e Arara: Terra, Água e Vida na Volta Grande do Xingu chega à segunda edição trazendo a Belém a produção artesanal de 11 aldeias dos povos indígenas Juruna e Arara, da região conhecida como Volta Grande do Xingu, no sudoeste do Pará. A mostra apresenta ao público os resultados das atividades desenvolvidas pelo Programa de Patrimônio Cultural Material e Imaterial (PPCMI) do Plano Básico Ambiental do Componente Indígena (PBA-CI) da hidrelétrica Belo Monte, desenvolvido na região pela Norte Energia, concessionária da usina. A abertura será nesta terça-feira (08), às 18h, no Espaço São José Liberto.

Sob a curadoria dos designers Idanise Hamoy e Renato Imbroisi, a exposição reunirá em Belém um grupo de 22 artesãos indígenas das etnias Juruna e Arara, proporcionando a oportunidade única de conhecer de perto e se encantar com a história, a arte e a sabedoria que têm sido transmitidas de geração em geração desses povos, em especial ao público que visita a capital paraense durante os eventos internacionais “Diálogos Amazônicos” e “Cúpula da Amazônia”.

A exposição ficará aberta à visitação de quarta-feira (09) até o próximo domingo (13), no horário das 10h às 18h e contará com fotografias de Walda Marques. Os visitantes terão a oportunidade de adquirir produtos autênticos e exclusivos, como peças em miçangas, tecidos estampados e outros artefatos com a marca dos grafismos característicos de cada etnia, além de pintura corporal feita no local pelos próprios indígenas.

Saberes ancestrais do Xingu – A curadora Idanise Hamoy explica que, durante a exposição, será possível conhecer mais sobre as tradições e os conhecimentos milenares dessas etnias, além de aprender sobre seu modo de viver em harmonia com a natureza. A preservação da Terra Indígena Paquiçamba, onde os Juruna habitam em seis aldeias da Área Indígena Juruna do Km 17, com uma aldeia e uma Reserva Indígena, e da Terra Indígena Arara da Volta Grande do Xingu, com suas quatro aldeias, é um dos pilares essenciais para garantir a continuidade dessa riqueza cultural.

“Cada peça reflete a identidade e a história ancestral dos Juruna e dos Arara, sendo uma forma de valorizar e apoiar suas comunidades. Esperamos que os visitantes mergulhem nessa experiência enriquecedora, apreciando a diversidade cultural e valorizando a importância da preservação da rica herança dos povos originários”, avalia Hamoy.

A Exposição Juruna e Arara: Terra, Água e Vida na Volta Grande do Xingu é uma realização da Norte Energia, com o apoio do Governo do Estado – através da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) – e da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai).

Serviço:

ExposiçãoJuruna e Arara: Terra, Água e Vida na Volta Grande do Xingu

Abertura: 08/08 às 18h.

Visitação: 09 a 12/08, de 10h às 18h e no dia 13/08, domingo, de 10h às 14h.

Local: Espaço São José Liberto.

Entrada franca.

Compartilhe essa matéria:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *