Menu
Search
Close this search box.

Junho Vermelho: hemocentros antecipam campanhas de incentivo à doação de sangue

A escolha do mês foi motivada devido o Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado no dia 14 de junho

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Continua após a publicidade

Com objetivo de fortalecer a importância da doação de sangue e atrair novos doadores, o mês de junho é dedicado a campanha Junho Vermelho, realizada nos bancos de sangue do Brasil. A escolha do mês está relacionada a chegada do inverno em grande parte do país, período em que os estoques dos hemocentros costumam ficar mais baixos, além de comemorar também o Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado no dia 14 de junho. Apesar das temperaturas ficarem elevadas no Pará nessa época do ano, os estoques de sangue Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) da também necessitam de reforço.

“O Junho Vermelho foi criado justamente nos meses de inverno, que aqui em Belém e na região Norte a gente não tem esse inverno, mas que a gente sabe que as pessoas vão doar menos sangue que o normal. É importante esse estímulo para que as pessoas saiam de casa para doar sangue, 95% das pessoas que poderiam doar não doam, claro que existem critérios de inclusão e exclusão, mas essas pessoas poderiam doar mais, é extremamente importante para o tratamento de várias doenças e as vezes você não encontra bolsa disponível”, aponta a médica hematologista Giovanna Ghelfond.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 16 a cada mil brasileiros são doadores de sangue. O número representa 1,6% da população, o que está dentro do recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) de, pelo menos, 1% da população doadora. Apesar disto, o número está longe de atender a atual demanda.

A especialista afirma que as doações registraram queda gradativa nos últimos anos devido à pandemia de covid-19, contudo, o procedimento é seguro. “Passamos dois anos muito complicados também nos hemocentros, fazendo com que os estoques dos bancos de sangue diminuíssem bastante. Agora a gente está em um processo de melhora, tomando todos os cuidados justamente para que as pessoas fiquem estimuladas a doar.”

De acordo com a hematologista, a doação de sangue é importante para todas as especialidades, mas os doentes oncológicos e onco-hematológicos são os que mais precisam de doação de sangue, pacientes em tratamento de linfomas, leucemia, mielomas, pós transplantados com médula óssea, dentre outros.  

Estoque de bolsas de sangue 

De acordo com balanço feito pelo Hemopa até a última segunda-feira (23), cerca de 2.400 pacientes devem ser beneficiados com 600 bolsas de sangue que reabasteceram o estoque da fundação no final de semana, em Belém, Castanhal, Santarém, Marabá, Redenção e Capanema. As campanhas atraíram cerca de 702 comparecimentos de voluntários da doação de sangue.

A gerente de Captação de Doadores, a assistente social, Juciara Farias, comemora o saldo de coletas do final de semana, mas alerta para a maior necessidade de doações, no momento, de sangue com as tipagens sanguíneas O Positivo e O Negativo. “O resultado das ações foi muito bom, tendo em vista que estávamos com um déficit em torno de 25% para atendimento da demanda transfusional”, comentou, ao destacar a importância das parcerias com instituições públicas, privadas e ONG´s, além do apoio do voluntariado em geral.

Em Belém, entre a sede do Hemopa, em Batista Campos; e a Unidade de Coleta de Sangue Castanheira, somaram 253 doações de sangue e 319 comparecimentos. Houve ainda a primeira campanha de doação de sangue com a nova unidade móvel de coleta de sangue, no sábado, durante ação de cidadania da Defensoria Pública do Estado, na área do Mangueirinho.

A campanha realizada pelo Hemocentro Regional Santarém no Hospital Municipal, em Jurutí, oeste paraense, resultou em 211 comparecimentos e 202 doações de sangue. No Hemonúcleo do Hemopa em Redenção, sudeste do Pará, a campanha contou com 36 comparecimentos e 34 bolsas foram coletadas. No Hemonúcleo de Capanema, nordeste paraense, o final de semana contou ainda com a participação de 46 voluntários e 40 bolsas de sangue. No Hemocentro Regional Marabá, a campanha contou com 39 voluntários que resultou em 31 doações de sangue. Já o Hemocentro Regional Castanhal, encerrou campanha com 51 comparecimentos de voluntários e 39 bolsas para estoque de sangue.Parcerias com instituições públicas, privadas e ONG´s, além do apoio do voluntariado em geral reforçar doações em todo EstadoParcerias com instituições públicas, privadas e ONG´s, além do apoio do voluntariado em geral reforçar doações em todo Estado (Reprodução / Agência Pará)

Confira os critérios para a doação:

– Ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 precisam estar acompanhados de responsável legal);

– Ter mais de 50 kg;

– Estar bem alimentado (não pode estar de jejum);

– Dormir pelo menos 6h nas 24h anteriores à doação;

– Não ingerir bebida alcoólica 12h antes da doação;

– Ter intervalo entre doações de dois meses para homens e três meses para mulheres;

– Quem se vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue sendo necessário um intervalo de dois dias após cada dose para quem recebeu a vacina Coronavac, e sete dias para quem recebeu as demais vacinas.

Para mais informações: 08002808118 de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h; e aos sábados, de 8h às 17h.

Fonte: O Liberal

Compartilhe essa matéria:

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *