Operação Samaúma apreende armamento e droga em Altamira, no Pará

Continua após a publicidade

A Operação Samaúma, que está acontecendo na Amazônia Legal sob o Comando do Conjunto Norte (CCjN), já começou a apresentar resultados. No último domingo 11 de julho, foram apreendidos, em uma localidade próxima a cidade de Altamira, armas, drogas e um homem. A ação ocorreu em atividade interagências com a Fundação Nacional do Índio e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

Foto: Exército Brasileiro
Foto: Exército Brasileiro

Militares do 51º Batalhão de Infantaria de Selva e agentes dos órgãos de fiscalização ambiental, na Terra Indígena Cachoeira Seca, identificaram um suspeito e realizaram a apreensão de armas e de substância classificada como sendo maconha. Na revista do local, com indícios de crimes ambientais, foram encontrados, também, materiais usados para desmatamento.

Foto: Exército Brasileiro

O suspeito e o material foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal em Altamira.

Operação Samaúma

A Operação Samaúma, de garantia da lei e da ordem ambiental, ocorre em terras indígenas, em unidades federais de conservação ambiental, em áreas de propriedade ou sob posse da União e, mediante requerimento do governador, em outros sítios do estado. Todas as atividades ocorrem em conjunto com órgãos e agências de proteção ambiental e de segurança pública.

Conforme o decreto número 10.730, de 28 de junho de 2021, a atuação dos militares do CCjN, que iniciou dia 28 de junho, ocorre nos municípios paraenses de Altamira, Itaituba, Jacareacanga, Novo Progresso, São Félix do Xingu e Trairão e seguem até o dia 31 de agosto.

O nome da Operação homenageia a árvore conhecida como rainha da Amazônia, que guarda e distribui água para outras espécies e também pode ser chamada de mafumeira, sumaúma e kapok.

Com informações e fotos do Exército Brasileiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *