Menu

Projeto Esperança de Altamira: reconhecido pelo Unicef e elogiado por vencedor do Grammy Latino

Prefeito Claudomiro Gomes e primeira-dama do município, Apoliane Gomes, apresentaram os alunos do Projeto Esperança e da Escola Municipal de Música a Yamandu Costa, vencedor do Grammy Latino com melhor álbum instrumental

O músico Yamandu Costa entre as crianças e adolescentes do Projeto Esperança / Foto: Tamires Soares
O músico Yamandu Costa entre as crianças e adolescentes do Projeto Esperança / Foto: Tamires Soares
Continua após a publicidade

Voltada para crianças de 7 a 15 anos, a iniciativa socioeducativa da Prefeitura de Altamira, foi criada em 6 de novembro de 1997 no primeiro mandato do prefeito Claudomiro Gomes. O Projeto ficou inativo em outras gestões e foi relançado no início do segundo mandato de Claudomiro, em 2021. Repaginado, o Projeto Esperança atende novamente crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Músico Yamandu Costa, prefeito Claudomiro Gomes e primeira-dama de Altamira, Apoliane Gomes, com alunos da Escola Municipal de Música

Quando foi lançado, há 26 anos, o Projeto Esperança ganhou reconhecimento do  Unicef e recebeu recursos financeiros do Criança Esperança da Rede Globo. Atualmente, o projeto é subsidiado, apenas, com os recursos financeiros da Prefeitura de Altamira. Para o prefeito Claudomiro Gomes, o carinhoso acolhimento que as crianças recebem, a atenção psicopedagógica e o tempo para brincarem e serem felizes é o que mais encanta aos que conhecem o Projeto. 

Ao transformar a vida de crianças e adolescentes, o projeto se consolida como case de sucesso. O violonista Yamandu Costa participou do lançamento da programação “Presente de Natal 2023” e ficou encantado com a apresentação do coral infanto-juvenil formado pelo Projeto Esperança. Para Yamandu, o dia foi muito especial: “Tive o prazer de conhecer a Escola Municipal de Música e o Projeto Esperança”, relembrou em suas redes sociais.

O Projeto Esperança atende 150 crianças e adolescentes de Altamira. Eles aprendem artes, natação, vôlei, futebol, música, violão, flauta, percussão, participam de oficinas de reforço de português, matemática e as suas famílias recebem uma bolsa auxílio no valor de 150 reais para contribuir com o sustento do lar.

O músico Yamandu Costa entre as crianças e adolescentes do Projeto Esperança / Foto: Tamires Soares

Para participar do Projeto é necessário morar na cidade e não ser beneficiário de nenhum outro programa social mantido pelo município. As crianças e adolescentes também recebem transporte, alimentação, acompanhamento e atendimento psicopedagógico. Para isso, elas precisam ter média 7 na escola, participar de todas as atividades educativas, esportivas, culturais, artísticas e profissionalizantes promovidas pela SEMED, SECULT e SEMEL além de estarem com a carteira de vacinação em dia.

As secretarias municipais de Assistência e Promoção Social (SEMAPS) e educação (SEMED), além do apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), são responsáveis por preparar o Programa Educativo desenvolvido no horário extraclasse do Projeto Esperança. As secretarias municipais de cultura (SECULT) e de Esporte e Lazer (SEMEL) auxiliam no desenvolvimento das demais atividades, que são realizadas na Associação Atlética do Banco do Brasil.

Fonte: Site Mais Altamira

Crédito Fotos: Tamires Soares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.