Hospital Regional da Transamazônica volta a realizar consultas e exames de especialidades

Continua após a publicidade

Nesta semana, pacientes que precisam de consultas ou exames médicos voltaram a ser atendidos no Hospital Regional Público da Transamazônica, em Altamira, no sudoeste do Pará. Antes o Hospital estava atendendo apenas pacientes da COVID-19, já que ele é referência para os casos graves da doença na região. 

De acordo com a SESPA, a retomada do serviço é parcial, ou seja, apenas 50% será retomado neste momento, isto porque a região apresentou uma redução dos casos de COVID-19. Atualmente 65% dos 30 leitos de UTI destinados aos pacientes em tratamento da Covid estão ocupados e a taxa de ocupação dos leitos clínicos é de 90%. 

O diretor do 10º Centro Regional de Saúde do Estado, Maurício Nascimento, ressaltou a importância de retomar esses serviços que estavam suspensos há mais de 60 dias, por causa do agravamento da pandemia. “Nós observamos que que a taxa de ocupação nos hospitais deu uma reduzida significativa, e hoje Altamira está tendo um resultado positivo, com o esforço que o Governo do Estado está fazendo na região. Então hoje com essa redução da hospitalização, Altamira sai um pouco daquele sinal vermelho”, disse Maurício. A SESPA também desativou os leitos clínicos que haviam sido contratados de forma emergencial no Hospital Santo Agostinho, pelo período de 60 dias. 

Mas o alerta ainda segue. De acordo com Mauricio Nascimento alguns municípios da região ainda apresentam números altos da doença, como é o caso de Brasil Novo. “Durante a semana passada e esta semana está crescendo o número de casos lá. Estamos diariamente conversando com o Prefeito e o Secretário de Saúde, para conseguirmos achar uma melhor estratégia para vencermos a COVID também no município de Brasil Novo”, disse.

Outra informação importante é o avanço da vacinação contra a Covid-19 na região. Na última remessa de imunizantes que chegou à Altamira no fim de semana, foram disponibilizadas 14 mil doses que já foram distribuídas as nove cidades que fazem parte da região do Xingu. Parte dessas doses já começou a ser usada para vacinar a população ribeirinha dos municípios de Porto de Moz e Senador José Porfírio.

Por Valéria Furlan – A Voz do Xingu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *