Medicilândia e Novo Repartimento vencem Concurso Nacional de Cacau Especial do País

Produtores de Medicilândia, Robson Brogni e Hélia Moura, são, respectivamente, o 1º e o 2º lugares, enquanto João Rios, de Novo Repartimento, conquistou o 3º lugar

Em Ilhéus, na Bahia, o III Concurso Nacional de Qualidade de Cacau que premiou produtores de cacau da região da Transamazônica
Em Ilhéus, na Bahia, o III Concurso Nacional de Qualidade de Cacau que premiou produtores de cacau da região da Transamazônica
Continua após a publicidade

O cacau cultivado na região da Transamazônica foi o grande destaque na noite desta segunda-feira (22), em Ilhéus, na Bahia, durante a final do III Concurso Nacional de Qualidade de Cacau Especial do Brasil – Sustentabilidade e Qualidade. Quatro produtores receberam o título de melhor cacau do Brasil na categoria blend(mistura): em 1º lugar ficou Robson Brogni, em segunda colocação a produtora Hélia Moura – ambos de Medicilândia e o terceiro lugar João Rios, de Novo Repartimento e José Renato Preuss, de Brasil Novo – que empataram na competição.

Também receberam menções especiais, durante a solenidade realizada no Resort Cana Brava, o agricultor João Evangelista, que recebeu uma placa em homenagem a sua indicação ao Cocoa of Excellence – premiação que ocorrerá em dezembro, em Paris, na França e a qual o produtor está concorrendo entre as 50 melhores do mundo – e o agricultor Francisco Cruz, que recebeu um certificado em reconhecimento à conquista de melhor amêndoa do cacau do Brasil, ano passado, conforme avaliação do Centro de Inovação do Cacau (CIC). Ambos são de Novo Repartimento.

Na categoria “varietal”, os dois primeiros lugares ficaram com os produtores da Bahia: Vale do Juliana Fruticultura Ltda(2º) e Cláudia Calmon de Sá (1º). A terceira colocação foi do agricultor de Rondônia, Mauro César Tauffer.

O Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), foi um dos patrocinadores da programação, realizada pelo Comitê Nacional de Qualidade de Cacau Especial e organizado pelo CIC e pela Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).

O coordenador do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Cacauicultura (Procacau), Ivaldo Santana, que representou a Sedap durante a solenidade, foi um dos convidados para fazer a entrega do prêmio ao primeiro lugar da categoria blend. O produtor premiado, que não pôde comparecer ao evento, foi representado por Hélia Moura, que no seu pronunciamento, agradeceu à equipe de trabalho e à cooperativa dos produtores de Medicilândia pelo apoio. “Não é fácil; é um trabalho árduo. Agradecemos nossa cooperativa pelo reconhecimento; agradecemos também pela parceria com o Governo do Estado, através da Sedap, por nos oferecer essa oportunidade de estarmos aqui”, ressaltou a produtora.

Incentivo – Para Ivaldo Santana o evento é importante para a melhoria da qualidade do cacau do Brasil, em especial do Pará, pois o produtor acaba sendo incentivado para produzir a melhor amêndoa possível, que passa pelo crivo dos mais renomados especialistas do país. “O produtor sabe que pode concorrer e ser premiado; ele vem com aquela expectativa de concorrer e vencer o concurso. Durante o ano, eles procuram trabalhar melhor a qualidade da sua amêndoa, fazendo aquele processo primário de beneficiamento com qualidade, buscando não só competir para vencer o concurso, mas buscando trabalhar as suas amêndoas, assim elas alcançam preços muito melhores no mercado nacional e até internacional”, avaliou Santana.

O produtor José Renato Preuss, de Brasil Novo, disse que a premiação é muito importante para dar um impulso para o trabalho que o produtor realiza. “A gente vem se capacitando sempre para ter cada vez mais uma amêndoa de qualidade; Estamos muito gratificados de estarmos aqui”, ressaltou o produtor.

Outro premiado no concurso, João Rios, de Novo Repartimento, observou que a lida do dia a dia é intensa, mas gratificante. “Não é fácil. Temos uma peleja todos os dias. Mas, nós só temos a agradecer o incentivo que nos é dado por entidades como a Fundação Solidaridad e pelos outros órgãos que nos incentivam a ter cada vez mais uma amêndoa de qualidade”, destaca o agricultor.

Confira a listagem com os nomes dos vencedores

Categoria Blend

1° lugar – Robson Brogni de Medicilândia- Pará

2º lugar – Hélia Moura de Medicilândia – Pará

3° lugar – João Rios de Novo Repartimento – Pará e José Renato Preuss – de Brasil Novo – Pará

Categoria Varietal

1° lugar – Cláudia Calmon de Sá- Bahia

2º lugar – Vale do Juliana Fruticultura Ltda – Bahia

3º lugar – Mauro Cesar Tauffer – Rondônia.

Fonte: Ascom Sedap

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *