Municípios paraenses têm mais eleitores do que habitantes

Especialistas acreditam que isso aconteça porque os dados do IBGE estão desatualizados, já que o último censo foi feito em 2010

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Continua após a publicidade

Pelo menos oito dos 144 municípios paraenses têm mais eleitores do que habitantes, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo que três deles aparecem entre as 10 cidades brasileiras com a maior diferença entre a população e o eleitorado.

Em primeiro lugar está Canaã dos Carajás, com discrepância de 9.961, já que há uma estimativa de que 39.103 pessoas morem no município, mas o TSE tem cadastrados 49.064 eleitores. As outras duas cidades que aparecem no ranking nacional são Jacareacanga, em segundo lugar, que tem 13.285 pessoas aptas a votar e 6.952 habitantes estimados até 2021, uma diferença de 6.333; e Mojuí dos Campos, na sexta posição, somando 20.289 eleitores contra 16.282 moradores – discrepância de 4.007.

Também aparecem entre os 10: Cumaru (PE); Severiano Melo (RN); Maetinga (BA); Japurá (AM); Ribeirão do Largo (BA); Serra Preta (BA); e Abadia de Goiás (GO). Em todo o país, o número de cidades com mais eleitores do que a população estimada chegou a 569 neste ano.

Motivos

O fenômeno é considerado normal pelos especialistas. Segundo o doutor em ciência política Lucas Okado, que é também professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Pará (UFPA), é preciso considerar que os dados de 2021 do IBGE são apenas uma estimativa e podem não representar a realidade, já que o último censo foi realizado em 2010. Ele lembra que, naquela época, 26.716 pessoas moravam em Canaã dos Carajás, cidade que possuía 23.593 eleitores em 2012. Já em Jacareacanga, eram 14.103 habitantes em 2010 e 8.206 eleitores dois anos depois. Mojuí dos Campos foi emancipada em 2013, então não há dados do censo.

“Essa comparação é ruim porque tem dois problemas. Primeiro, os dados populacionais são uma projeção do IBGE. Eles não vão captar movimentos migratórios bruscos, como os causados por empreendimentos de grande porte que aumentam a população de forma repentina. Outro ponto é que as bases do TSE e do IBGE não conversam. Então, se eu mudei de cidade e não transferi meu domicílio eleitoral, eu continuo na minha cidade de origem para o TSE e passo para a cidade nova no IBGE. Era para termos um censo em 2020 e ele não foi feito até agora. Assim, essas comparações não são precisas, porque são feitas com base em uma projeção estatística da população. Isso, por si só, já dificulta uma comparação”, analisa.

Ouvido pelo G1, o cientista político e professor da UFPA Carlos Augusto Souza explica que as duas cidades paraenses no topo do ranking, Canaã e Jacareacanga, estão em regiões de fronteira agrícola, onde houve um avanço de atividades ligadas à agropecuária. “Os fatores que explicam a manutenção de taxas altas de eleitores não correspondentes com a população são migrantes que não fixam residência na cidade, ou atividade atrativa de mão de obra temporária. A pecuária é uma atividade desse tipo”, afirma o especialista ao portal.

A reportagem também traz uma nota do IBGE, em que ressalta que o último censo ocorreu em 2010 e que “espera divulgar as populações de todos os municípios do país para 2022 até o final do ano, a partir dos resultados do censo”. O instituto também citou como explicação para a diferença o fato de que “moradores que se mudam para outras cidades comumente demoram a fazer a transferência de seus domicílios eleitorais. Alguns não chegam nunca a fazê-lo”.

Municípios paraenses com discrepância entre eleitorado e população

1º: Canaã dos Carajás

Habitantes: 39.103

Eleitores: 49.064

Diferença: 9.961

2º: Jacareacanga

Habitantes: 6.952

Eleitores: 13.285

Diferença: 6.333

6º: Mojuí dos Campos

Habitantes: 16.282

Eleitores: 20.289

Diferença: 4.007

Diferença em outros municípios paraenses:

  • Pau D’Arco: 2.415
  • Senador José Porfírio: 1.380
  • Peixe Boi: 846
  • Brasil Novo: 300
  • Primavera: 83

Fonte: O Liberal (TSE e IBGE)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido.