Vereador de Altamira explica uso do colete à prova de balas e comenta áudio que circula nas redes sociais

Olailton Carvalho - Vereador de Altamira
Olailton Carvalho - Vereador de Altamira
Continua após a publicidade

Vestido de camisa branca de manga comprida sob um colete a prova de balas, com nome Poder Legislativo – Fiscalização, o vereador Olailton Carvalho Ferreira (PSB), tem chamado a atenção das pessoas onde chega, e está se tornando conhecido na cidade de Altamira como o “Vereador do Colete“.  

Para saber um pouco sobre essa ideia de usar esse tipo traje, o jornalista Wilson Soares, do Portal A Voz do Xingu, entrevistou o parlamentar que há oito meses exerce o cargo em Altamira. 

A Voz do Xingu: Vereador Olailton, porque usar esse colete à prova de balas?

Wilson, eu não sou só mais um, eu não vim pra ser só mais um. Eu sou um cara diferenciado. Onde eu entro eu peço a benção do Senhor, e peço que o Senhor me guie e me oriente nas minhas decisões pra eu não ser só mais um. Esse colete que a gente usa, a gente não tá sendo ameaçado de nada. As pessoas me perguntam: Enfermeiro você tá sendo ameaçado? Não, não tô sendo! Eu preciso ser diferente, eu preciso me identificar. Os eleitores precisam conhecer quem são as pessoas que os representam. Então eu estou diferente, utilizando o colete, identificando que é o meu colete de fiscalização. Eu não sou um fiscal do povo? Então eu tenho um colete de fiscal, eu ainda não vi nenhum fiscal sem colete. Se eu vou numa fiscalização eu utilizo o colete, se eu vou numa reunião eu utilizo o paletó. Então se é fiscalização eu não vou lá pra brincar, eu vou pra fiscalizar. Então o colete é simplesmente para me identificar.

A Voz do Xingu: Vereador, a população tem cobrado principalmente nas redes sociais, mais ações por parte do Legislativo e do Executivo. Como você avalia essa cobrança da população?

A população está insatisfeita, isso é notório, isso é nítido, e não sou eu quem vou falar o contrário. A gente acompanha e vê principalmente por causa dos seis primeiros meses que ficou sem execução dos serviços por parte da Prefeitura e isso refletiu. Porém nesse período agora do meio do ano pra frente a prefeitura tem iniciado os trabalhos, tem realizado a operação tapa buracos, na zona rural ela tem feito algumas frentes de serviços, mas parece que com esses 6 meses que ficou sem execução isso não tá sendo justificado, mas a gente entende, ainda mais como um profissional da saúde que sou, entende que a prefeitura priorizou as vidas, os atendimentos na área do Covid. Isso não é narrativa minha é narrativa da prefeitura, e a gente compactua e faz parte dessa ação da prefeitura em prol da saúde do município. 

A Voz do Xingu: Agora nesses oito meses que o Senhor está como vereador, a função é aquilo que o Senhor esperava ou não? Como você avalia esses oito meses atuando junto à população altamirense?

Wilson, eu posso te dizer que é um pouco frustrante, né? Não é aquilo que a gente esperava, a força que a gente imaginava ter. De uma coisa eu sei, como vereador eu tenho a minha autonomia e isso é o que eu mais prezo. Que eu acho que é o mais importante: eu ter a minha autonomia e o meu direito de tomar as minhas decisões como vereador e como legislativo, porém por outro lado a gente vê que a força que a gente tem ela é mínima, então as vitórias que a gente vem alcançando elas têm que ser bem comemoradas. 

A Voz do Xingu: O senhor tem encontrado alguma dificuldade para legislar ou fiscalizar?

Eu faço meu trabalho sem problema. A gente consegue entrar em todas as secretarias sem problema nenhum. Os poderes, eles são harmônicos né? Porque os poderes são harmônicos? Para o bem do povo tá, porém as decisões cada um tem as suas. Entre o Poder Executivo e o Legislativo tem que ter uma harmonia, porque essa harmonia vai beneficiar o povo. Vou te dar um exemplo: o vereador solicita a construção de uma praça e o Executivo, executa essa construção da praça, quem vai ser beneficiado com isso vai ser o povo. 

A Voz do Xingu: Vereador pra concluir, está correndo um áudio com uma voz parecida com a sua nos grupos de WhatsApp de Altamira, em que chama a Categoria do Sintepp de uma organização criminosa. Essa voz é sua?

Essa voz não é minha. Não tem meu timbre de voz e nem se parece com minha voz, e a gente não tem esse perfil de criticar em redes sociais. A gente respeita todos os posicionamentos, a gente respeita todas as instituições, ainda mais o Sintepp que é uma instituição que representa uma classe. Eu já entrei em contato com presidente do Sintepp e com alguns representantes do Sintepp já me pronunciando dizendo que eu não tenho nada a ver com esse áudio e dizendo também que eu não conheço a pessoa que lançou, mas não é minha voz e não sou eu, e eu não pactuo com esse tipo de comentário.

Por Wilson Soares – A Voz do Xingu

Comments 2

  1. Olailton Carvalho says:

    Meu amigo você é o melhor da sua área na região 👏👏👏👏👏👏

  2. Olailton Carvalho says:

    Meu amigo você é o melhor da sua área na região 👏👏👏👏👏👏 e es diferenciado também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *