Festa clandestina termina na Delegacia de Altamira

Continua após a publicidade

125 pessoas que curtiam uma festa clandestina na madrugada do último domingo, 6, no Ramal da Floresta, entre os municípios de Altamira e Vitória do Xingu, foram parar na Delegacia de Polícia Civil de Altamira.

Desde de abril do ano passado, a realização de festa em Altamira está proibida, para evitar aglomerações.

Ao saber da realização da festa, que foi denominada de “Revoada”, organizada por um grupo criado em aplicativo de mensagens, agentes da Guarda Municipal de Altamira se infiltraram no movimento e com a ajuda da Polícia Militar, do Departamento de Trânsito e do Detran, colocaram um fim no festejo. No local, havia inclusive 23 menores de idade consumindo bebida alcoólica.

Durante uma revista no ambiente e com o apoio de um cão farejador, os agentes de segurança ainda encontraram pequenas quantidades de maconha e cocaína.

Um ônibus da Guarda Municipal, conduziu todos até a delegacia de polícia, para prestarem esclarecimentos.

Outro caso parecido

Está é a segunda festa clandestina interrompida este ano, pela fiscalização da Polícia Militar e Guarda Municipal, no município de Altamira. No dia 17 de fevereiro, os agentes encerraram uma balada que acontecia em uma chácara localizada a 13 quilômetros do centro da cidade. No local foram apreendidas 200 pulseiras que seriam vendidas durante a festa denominada ‘Carnaval Pirata Mata’. Naquela madrugada, oito pessoas foram encaminhadas para seccional do município para prestar esclarecimentos.

Por Wilson Soares – A Voz do Xingu

Fotos: Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *