“Mini-apagão” afetou várias regiões do Brasil nesta sexta-feira, dizem distribuidoras

Foto: Divulgação/Norte Energia
Foto: Divulgação/Norte Energia
Continua após a publicidade

Um problema no sistema que transmite a energia gerada pela usina hidrelétrica de Belo Monte levou a um corte de carga no Sistema Interligado Nacional (SIN) nesta sexta-feira de manhã, afetando consumidores de várias regiões do país.

Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), houve o desligamento de dois polos do sistema operado pela Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE). O problema sequencial ocorreu um intervalo de 20 minutos, entre 11h06 e 11h26.

A primeira ocorrência não trouxe consequências ao SIN. Já no segundo caso, para evitar sobrecarga no sistema, foram desligadas sete unidades geradoras de Belo Monte, interrompendo 4.050 megawatts (MW) de geração. Em sequência, entrou em ação o Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC), uma espécie de proteção que visa manter íntegro o sistema elétrico quando ocorrem perdas de grandes blocos de geração de energia. Com isso, foram cortados cerca de 3.400 MW de carga no SIN, atingindo várias localidades do país.

O ONS disse que atuou prontamente para restabelecer o mais rápido possível o fornecimento de energia assim que identificou o problema. Segundo o órgão, às 11h31 foi liberada a retomada das cargas cortadas, e, às 11h45, todas já estavam regularizadas.

“O ONS avaliará as causas da ocorrência junto aos agentes envolvidos e, posteriormente, fará um Relatório de Análise da Perturbação (RAP)”, disse, em nota.

A Aneel já encaminhou um ofício à BMTE pedindo explicações. Foi dado o prazo de um dia, após o recebimento do ofício, para que a concessionária apresente esclarecimentos sobre a ocorrência e as medidas que estão sendo adotadas para solucionar o problema e evitar reincidência.

Nesta tarde, várias distribuidoras de energia elétrica relataram problemas de fornecimento de energia elétrica em regiões de suas áreas de concessão.

Segundo a Neoenergia Distribuição Brasília, houve uma interrupção parcial do atendimento no Distrito Federal por volta das 11h26. As cargas foram restabelecidas, às 11h50, em todas as áreas afetadas, disse a concessionária.

A EDP Brasil informou que os clientes de suas distribuidoras em São Paulo e Espírito Santo também tiveram o fornecimento afetado entre 11h26 e 11h51. Em São Paulo, foram 190 megawatts (MW) de cargas interrompidas, impactando em torno de 210 mil clientes. Já no Espírito Santo, foram 256 MW, com impacto em cinco clientes industriais.

Já no caso da Cemig, foram 370 MW de perda de carga. Houve interrupção parcial do fornecimento, num intervalo de 4 a 27 minutos, para algumas regiões do Estado – as maiores cidades afetadas foram Uberlândia, Uberaba e Divinópolis. Nas cidades de Rio Paranaíba e São Gotardo, a normalização do fornecimento demorou um pouco mais, disse a companhia.

A Enel Brasil registrou interrupção no fornecimento de energia em algumas regiões atendidas por suas concessionárias em São Paulo, Goiás e Rio de Janeiro, entre 11h26 e 11h39. “O ONS acionou o primeiro estágio do Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC), o qual prevê o desligamento automático de 7% da carga das distribuidoras. O fornecimento de energia encontra-se normalizado neste momento nos três estados”, relatou a companhia.

Na paranaense Copel, 232 mil unidades consumidoras ficaram sem energia por cerca de 30 minutos. “A interrupção para alívio de carga aconteceu em diversas regiões do Estado às 11h26 e, após autorização do ONS, foi restabelecida por completo às 11h58”, disse a empresa.

A CPFL, com clientes em São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul, também sofreu com o problema. Segundo a CPFL, a oscilação no SIN provocou interrupção de energia em algumas regiões atendidas por suas concessionárias, mas o fornecimento foi normalizado “em poucos minutos”.

Fonte: Valor Econômico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *