Mulheres do Xingu denunciam violência e cobram agilidade nas investigações

Continua após a publicidade

Movimentos populares do Xingu fizeram uma manifestação pacifica na manhã desta quinta-feira, 25, em frente ao Fórum de Altamira, no sudoeste do Pará.

A manifestação foi para pedir ao Poder Judiciário mais agilidade e celeridade nos casos que envolvem abuso e violência contra mulheres, crianças e adolescentes.

Foto: Redes Sociais

Faixas e cartazes foram fixadas no muro do Fórum exigindo da Justiça uma resposta em relação aos supostos casos de estupro e importunação sexual, que vieram à tona contra o pastor José Dorivaldo Teixeira, dirigente da Igreja Quadrangular em Altamira. Até o momento pelo menos oito mulheres já procuraram a Delegacia de Polícia Civil para denunciar o pastor. Os casos teriam acontecido quando as vítimas ainda eram adolescentes e durado vários anos.

Foto: Redes Sociais

Agora a noite, representantes do Movimento de Mulheres estão participando de uma audiência pública na Câmara Municipal de Altamira, que discute sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência. Com faixas e cartazes elas exigem cadeia para os acusados em cometerem crimes de pedofilia e abuso sexual.

A manifestação de hoje pela manhã em frente ao Fórum também foi para lembrar o “Dia Internacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres”, comemorado em 25 de novembro.

Por Wilson Soares – A Voz do Xingu

Fotos: Redes Sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *