Menu

Procon/PA alerta sobre cuidados antes e após realizar uma compra online

Continua após a publicidade

A Semana do Consumidor é período onde as lojas físicas e virtuais fazem diversas promoções para atrair compradores e zerar seus estoques, mas o que fazer quando alguma compra não termina bem ou o produto recebido não é correspondente ao anunciado? O Procon/PA dá dicas para lidar com o pós-compra e possíveis problemas relacionados.

O órgão alerta que o primeiro passo começa ainda durante o processo anterior a compra. A dica geral é que o consumidor deve sempre observar o site em que efetua a compra, conhecer a sua reputação, optando sempre pelas páginas que tem o ícone de cadeado fechado no canto superior à esquerda. Procon orienta sobre cuidados durante compras online.

“As principais ocorrências são a respeito da devolução dos valores e produtos. O fornecedor tem a obrigação de colocar os termos, descontos e preços de forma clara sobre o produto oferecido. Cada plataforma tem sua política de troca e reembolso que o consumidor precisa observar antes da compra. O consumidor tem o direito ao cumprimento da propaganda e o direito à devolução do produto dentro do prazo de sete dias, a partir da data do recebimento”.

Veja a seguir dicas para fazer compras online de forma segura:

1. Compre em sites confiáveis 

Opte por lojas virtuais conhecidas e confiáveis. Verifique se o site possui um certificado de segurança (https://) e um cadeado visível na barra de endereço. Evite fazer compras online em sites desconhecidos ou suspeitos.

2. Verifique a reputação da loja online

Consulte sites como Procon, Reclame Aqui, Ebit e Consumidor.org.br, para acompanhar reclamações, resoluções de problemas envolvendo a loja. As redes sociais também são úteis para descobrir possíveis golpes, já que os consumidores costumam compartilhar experiências e opiniões sobre a loja nelas.

3. Use senhas fortes e únicas

Crie senhas fortes para suas contas de compras online. Use uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais. Evite utilizar senhas óbvias e fáceis de adivinhar. Além disso, use senhas diferentes para cada loja virtual que você utiliza.

4. Atualize seu software de segurança

Mantenha seu dispositivo protegido com um software antivírus atualizado. Isso ajudará a detectar e bloquear ameaças cibernéticas, como malwares e phishings, por exemplo. 

5. Evite redes wi-fi públicas

Ao fazer compras online, evite usar redes wi-fi públicas, como as de cafés, aeroportos e shoppings. Essas redes podem ser inseguras e expor suas informações pessoais. Prefira fazer compras usando uma conexão de internet segura e confiável em casa ou em redes privadas.

6. Verifique a política de privacidade

Antes de fazer uma compra, verifique a política de privacidade do site para entender como suas informações pessoais serão tratadas. Certifique-se de que o site protege suas informações e não as compartilha com terceiros sem seu consentimento.

7. Utilize métodos de pagamento seguros

Opte por métodos de pagamento seguros, como cartões de crédito com proteção contra fraudes. Evite fornecer informações financeiras confidenciais por e-mail ou mensagens não seguras. Além disso, considere o uso de serviços de pagamento online confiáveis, como PayPal, que oferecem camadas adicionais de segurança.

8. Monitore suas transações

Mantenha um registro das suas transações online. Verifique regularmente o extrato do seu cartão de crédito ou conta bancária para identificar qualquer atividade suspeita. Se encontrar algo irregular, entre em contato imediatamente com sua instituição financeira.

Qual a diferença entre Procon e Delegacia do Consumidor?

O Procon atua em questões administrativas das relações de consumo, solucionando problemas entre consumidores e fornecedores por meio de procedimentos administrativos próprios, além de desenvolver atividades educativas e de orientação sobre direitos do consumidor. Já a Delegacia do Consumidor (Decon) trata de crimes contra o consumidor, ou seja, quando o consumidor é prejudicado criminalmente (estelionato, fraudes, roubo de dados etc). O Procon atua mais na área administrativa, tomando como base principalmente a Código de Defesa do Consumidor.

Desta forma, casos de conciliação, cumprimento da legislação das relações de consumidor, autuação e correlatos são ramo de atuação do Procon, enquanto o quando a relação de consumo, de alguma forma, acaba caracteriza algum tipo de crime já caracteriza a atuação da Decon para instauração de inquérito policial.

Com informações do Roma News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.