Varíola dos macacos: Sespa confirma que Pará tem 3 casos suspeitos da doença

Os casos suspeitos foram notificados em Santarém, Ananindeua e Parauapebas. Pacientes estão isolados

Lesões na pele são sintomas comuns em pacientes com varíola dos macacos (Divulgação / OMS / Imagem ilustrativa)
Lesões na pele são sintomas comuns em pacientes com varíola dos macacos (Divulgação / OMS / Imagem ilustrativa)
Continua após a publicidade

A Secretaria de Saúde Pública (Sespa) informou, na tarde desta segunda-feira (1º), às 16h47, que há três casos suspeitos de varíola dos macacos (monkeypox) em investigação nos municípios de Santarém (1), Ananindeua (1) e Parauapebas (1). Em nota, a Secretaria afirmou que os pacientes estão isolados.

“A Sespa reforça que já fez a orientação para que seja realizada a análise clínica, notificação do caso e encaminhamento das amostras dos pacientes para laboratório. Não há casos confirmados de Monkeypox no Pará”, detalhou a Secretaria.

A Secretaria de Saúde Pública (Sespa) informou, na tarde desta segunda-feira (1º), às 16h05, que o caso suspeito de varíola dos macacos da paciente notificada pela Unimed Belém foi descartado por não atender aos critérios de suspeição da doença.

A secretaria estadual de saúde também descartou em sua nota a possibilidade de outros casos suspeitos na Grande Belém. “Quanto a outro possível caso de Outeiro, a Sespa informa que não foi notificada até o momento”, disse a nota.

Caso suspeito descartado em Belém

Por volta das 16h05 desta segunda-feira (01), a Sespa informou que o caso suspeito de varíola dos macacos da paciente notificada pela Unimed Belém foi descartado por não atender aos critérios de suspeição da doença.

A informação de que a capital paraense teve o primeiro caso suspeito de varíola dos macacos notificado foi confirmada também nesta segunda-feira, por volta das 15h54. A paciente passou um tempo em Zurique, na Suíça, local onde há incidência de casos da doença.

A mulher deu entrada em um hospital particular da Unimed Belém e apresentou todos os sintomas de alerta previstos nas notas técnicas vigentes do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A Sespa coletou material para análise e a paciente está no período de isolamento de 21 dias previstos, enquanto se recupera.

Em nota, a Unimed Belém informou que “no último sábado, 30, uma paciente deu entrada no Hospital Unimed Prime com sintomas semelhantes à varíola dos macacos”.

“A beneficiária obteve atendimento adequado e todas as autoridades sanitárias foram notificadas sobre o caso suspeito. Após isso, a Sespa realizou a coleta de material para análise. A paciente já recebeu alta médica por apresentar quadro clínico estável”, completa o texto.

Capacitação dos profissionais de vigilância

No último domingo (31), também em nota divulgada por volta das 18h, a Sespa já tinha informado que atua diretamente com os municípios na capacitação de profissionais de vigilância em saúde com reuniões semanais para que a doença seja diagnosticada com mais facilidade.

“A Sespa esclarece ainda que desde maio deste ano já adota medidas de prevenção e contenção da doença por meio de comunicados de alerta de risco, notas técnicas de orientação para monitoramento e notificação. Apesar de portos e aeroportos de fronteiras serem de responsabilidade federal, a Sespa também realiza ações para esses locais. A Sespa esclarece que caso apresente sintomas a pessoa deve procurar a unidade municipal de saúde mais próxima para atendimento. Não há casos registrados de Monkeypox no Pará”, detalhou a nota do domingo.

Fonte: O Liberal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido.