População de Medicilândia ignora apelo das autoridades e forma grandes aglomerações

Continua após a publicidade

Apesar das recomendações do Ministério da Saúde, dos governos estadual e municipal para evitar aglomerações e assim evitar uma pandemia do coronvírus – (COVID-19), boa parte da população de Medicilândia, no sudoeste do Pará, tem formado grandes filas, todos os dias, em busca de receber benefícios sociais e até mesmo para fazer compras no comércio local. Muitos são moradores da zona rural que procuram diariamente o centro da cidade para resolver seus problemas. Na manhã desta quarta-feira, 22, o centro comercial da pequena cidade, parece ter ficado pequeno para tanta gente aglomerada.

A região do Xingu, composta por nove municípios, só conta com o Hospital Regional da Transamazônica, que fica em Altamira, como hospital credenciado para atender os casos mais graves de coronavírus. Ele é o único da região de média e alta complexidade, e quase já não consegue atender a demanda diária de pacientes, que sofrem de outras doenças e que necessitam de leitos de UTI.

Apesar dos decretos em vigor que proíbem aglomerações, boa parte da população do Xingu parece não ter percebido ainda a importância do comprometimento social e compreensão sobre a pandemia do Covid-19. A falta de consciência tem preocupado as autoridades de saúde, que temem um colapso nos próximos dias. “Se a população não entender que é um caso de saúde pública, é uma situação de pandemia, vai ser muito difícil os municípios controlarem o avanço do vírus. As autoridades estão fazendo sua parte. Estão tentando de todas as formas controlar o crescimento. Então nesse momento precisamos da colaboração dos cidadãos”, desabafou o secretário de saúde de Medicilândia, Danilo Lopes.

Apesar das constantes aglomerações, o município de Medicilândia segundo dados da Sespa, não possui nenhum caso de coronavírus confirmado, apenas Altamira que fica 90 km distante, hoje tem 3 casos confirmados.

Já somando os casos em todo o Pará, o estado já ultrapassou nesta terça-feira, 21, mais de 1.000 casos de coronavírus e chegou a 38 mortos, segundo o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde.

Por: Wilson Soares – A Voz do Xingu

Fotos: Edlene Gonçalves

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.